quarta-feira, 6 de julho de 2011

Para essa gente que se julga com o rei na barriga
Boa sorte
Porque a vossa estupidez consegue ser maior que um cordão humano LOL

Encherguem-se!
A carapuça so serve mesmo aqueles
Que nao tem mais nada que fazer
Senao embirrar com quem vai ao vosso lado na rua

Ou só porque nao tem vida propria
Toca de fazer-me passar por outro laguém
Que isto, mas vivemos aonde!

Poupe-me os vossos dias
Em que estão mal dispostos com tudo e com todos

Só porque acordaram com os pés de fora
Julgam que podem gritar com quem vos apetece

O mais engraçado
é que por mais estupidos que sejam conseguem ser a piada do dia para nós pessoas normais com vida propria!

Ta lendo, isto é porque sabe bem do que falo, quando aquele(a) tresloucado(a) passa ao seu lado e cobiça as suas atitudes.

Gente cuidem-se!

Vida







A vida é
Acordar todas as manhas
Abrir os olhos e correr na direcção da janela
Para sentir o vento a bater no rosto

É olhar para cima
E agradecer não estarmos sós

é fazer o imensurável
No meio desta imensidão que nos rodeia

É procurar a saída desta escuridão
Que obscura e o nosso caminho

Sequência de dias
Meses anos
A vida é mais do que uma esfera de sonhos
Vida é eternidade

É saber aproveitar os trunfos que nos dão
Rumo ao absoluto

Vestido Azul


O VESTIDO AZUL

Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma garotinha muito bonita.
Ela freqüentava a escola local. Sua mãe não tinha muito cuidado e a criança quase sempre se apresentava suja. Suas roupas eram muito velhas e maltratadas.
O professor ficou penalizado com a situação da menina.

"Como é que uma menina tão bonita, pode vir para a escola tão mal arrumada?".

Separou algum dinheiro do seu salário e, embora com dificuldade, resolveu lhe comprar um vestido novo.
Ela ficou linda no vestido azul.

Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, sentiu que era lamentável que sua filha, vestindo aquele traje novo, fosse tão suja para a escola. Por isso, passou a lhe dar banho todos os dias, pentear seus cabelos, cortar suas unhas.

Quando acabou a semana, o pai falou: "mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more em um lugar como este, caindo aos pedaços?.Que tal você ajeitar a casa? Nas horas vagas, eu vou dar uma
pintura nas paredes, consertar a cerca e plantar um jardim."

Logo mais, a casa se destacava na pequena vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e o cuidado em todos os detalhes.

Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em barracos feios e resolveram também arrumar as suas casas, plantar flores, usar pintura e criatividade.

Em pouco tempo, o bairro todo estava transformado.
Um homem, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, pensou que eles bem mereciam um auxílio das autoridades. Foi ao prefeito expor suas idéias e saiu de lá com autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos que seriam necessários ao bairro.

A rua de barro e lama foi substituída por asfalto e calçadas de pedra.
Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania.

E tudo começou com um vestido azul.

Não era intenção daquele professor consertar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse o bairro. Ele fez o que podia, deu a sua parte. Fez o primeiro movimento que acabou fazendo que outras pessoas se motivassem a lutar por melhorias.

Será que cada um de nós está fazendo a sua parte no lugar em que vive?
Por acaso somos daqueles que somente apontamos os buracos da rua, as crianças à solta sem escola e a violência do trânsito?

Lembremos que é difícil mudar o estado total das coisas. Que é difícil limpar toda a rua, mas é fácil varrer a nossa calçada. É difícil reconstruir um planeta, mas é possível dar um vestido azul.

Há moedas de amor que valem mais do que os tesouros bancários, quando endereçadas no momento próprio e com bondade.
Você acaba de receber um lindo vestido azul.!!!!!!
Faça a sua parte.
Ajude-nos a melhorar o PLANETA!

sábado, 25 de junho de 2011

HERANÇA DE SANGUE


"Da luxuria tropical de Key West, na Florida, ao esplendor clássico de Bath,em Inglaterra,corre o fio ténue de um passado doloroso,que se entrelaça perigosamente com magia negra e escravidão humana. A psicoterapeuta Madeleine Frank,especializada em stresse pós-traumático, sabe bem que é impossível recuperar de algumas perdas. A do seu marido,por exemplo. Porém, quando começa a ultrapassar essa dor, uma nova paciente,Rachel,abala o seu mundo. Pressentindo algo de familiar nesta mulher hostil,Madeleine fica perturbada quando descobre que os traumas de infância da paciente ecoam o seu próprio segredo: um segredo inominável. À medida que a relação entre as duas se adensa, Rachel desencadeia uma série de acontecimentos terríveis,que as duas mulheres são incapazes de controlar "

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Sexo!


Não preciso de instruções
O meu maior prazer é dar-te prazer
Coloca as tuas mãos no meu corpo
Percorre-o
Desce...desce....desce...
Adoro puxar o cabelo
Enquanto me beijas o pescoço
Continua...

Meu amor
Deixas-me louca
Quero-te perto de mim
Queixo com queixo
Peito com peito
Sentir-te quente

Sabes bem como isto funciona
Agarra-me...usa...abusa
Eu sei que gostas

Amo quando pronuncias palavras sedutoras ao meu ouvido

Embora
vamos nos deixar de preliminares
E fazer o resto
No chao!

Quero voltar a ser solteira!


Loucuras,
Paixões,
Noites,
Memórias da menina mulher que era enquanto possuia aquele titulo
Vasculho dedicatorias, velhas-infancias, que perduram no meu insconciente
Quero voltar ...
a crescer,
Quero voltar...
a aprender com o mais sábio de todos,
Quero voltar...
a rebolar na areia da praia

Saudade de carregar-te comigo no meu vocabulario...
Sim , estou a falar contigo Sedução!
Gostava bastante de testar , de ir ao meu limite

Quero voltar ...
a ser a menina que todos adoram

Quero dançar no eclipse da noite
Sob a mais viciante das drogas
Sim, tu oh alcool

Quero voltar...
sentir os arrepios na pele

Quero abrir meu guarda-roupas e escolher a melhor roupa
Calçar meu salto alto sexy
E gozar a restia de menina solteira que há em mim!

Sentimento de tristeza

Não sei o que procuro... no meio de tanto carinho, amor, ternura que me dás. Não encontro razão para entender o que vai na minha cabeça, quando sentimentos puros vindos do ser humano que és, se desvanecem em cada lágrima que escorre no meu rosto.
Sinto-me egoista por saber que me amas incodicionalmente e eu nao dou o devido valor porque sou como um lobo, a solidão torna-se a melhor amiga quando sentimos a confusao a crescer; sou como um espinho, que permanece firme no seu lugar , resistindo a qualquer toque.
Preciso de uma resposta, aonde a vou buscar não faço a menor ideia, neste momento sou um ser racional que anseia saltar para a linha ferrea, avanço...avanço... e de repente sinto um aperto no coração que me trás a memória , as palavras que da tua boca saiam docemente ..."Amo-te" ,"Quero-te", "Tenho saudades tuas"... e pergunto-me se eu me matar sofrimento deixarei, se ficar a magoa irá permanecer!
A ferida ligeira cura-se com remédio e tempo .. sarar a ferida profunda que te fiz vai permanecer no meu consciente cicatriz do mal que te fiz.
Não tenho escolha, adeus raizes, adeus meu grande amor.

Saudades...

Não consigo escrever nem sequer falar. Sinto-me confusa, sinto a minha cabeça a roda por não encontrar as palavras certas para agradecer ao meu amigo das horas solitárias, o mar.
Sinto saudade de me sentar ao teu lado, à beira-mar e partilhar contigo todos os meus medos, os meus erros, os meus amores. Só tu guardavas contigo as lágrimas que me caiam rosto abaixo e tu as levavas contigo. Eras o meu reconforto nas horas vagas, que sussurrava o meu nome no rebentar de cada onda que me refrescava os pés.
Foste e continuas a ser para mim o meu mestre. Sim. Foi contigo que aprendi a ser livre, foi contigo que encontrei a minha verdadeira essência .
Gostava quando o meu perfume se entrelaçava com o cheiro a maresia, que vinha ao encontro daquela brisa fresca que me limpava o rosto.
Também me pregas-te sustos, quando me tentavas levar contigo para longe de tudo e de todos, não é que me importasse, mas fico bem em terra. Contudo essas tuas partidas, foram para mim como lições. Lições estas que nunca as esqueci e relembro sempre que tenho tempo para pensar em ti.
Óh mar tenho saudades de te ver, de te sentir, de falar contigo. Hoje feita mulher, sei que a nossa relação nunca esvaneceu e anseio o momento de te ver, apesar de tu me teres ensinado que a ansiedade é para os fracos, e eu isso não sou.
Sei que ao fim de tantos anos em terra, sempre tive o sonho de flutuar contigo por águas longínquas, sempre quis aprender a conquistar meio mundo, como tu conquistas-te as terras e os tesouros que guardas no pano verde que te reveste.
Não vou chorar, porque tu me ensinas-te a sorrir, não vou perder, porque tu ensinaste-me a vencer as minhas batalhas, não vou sofrer porque tu ensinaste-me a ser feliz, não vou morrer porque tu ensinaste-me a viver, mas se algum dia fores embora e ficar sem ti meu amigo , vou chorar, perder, sofrer, morrer porque tu nunca me ensinas-te que o tempo leva as pessoas de quem mais gostamos.